• Planej

Papo de arquiteto: integração de ambientes


Ambientes integrados são tendência na arquitetura, basta acessar as redes sociais para se deparar como uma enorme quantidade de ideias para integrar ambientes. Mas esta história começou nos anos 70, com a transformação de galpões industriais desativados em residências. Surgiu aí o conceito de loft e consequentemente o de ambientes integrados. Assim, percebemos que integrar ambientes não é um modismo, é uma tendência que veio pra ficar. Afinal, os espaços estão cada vez mais disputados e aproveitá-los ao máximo é uma necessidade premente.

Mas, além de aproveitar o espaço, quais as vantagens de um ambiente integrado?

Praticidade

Ambientes integrados são mais fáceis de limpar e de organizar; é fácil circular e cuidar das crianças e dos animais de estimação. Além disso, durante a execução da obra, não executar paredes de fechamento reduz o prazo e seu custo final.

Amplitude

A sensação de amplitude nos ambientes é causada pela integração especialmente em espaços pequenos, onde não há como compartimentalizar. Aqui, o único cuidado é não sobrecarregar visualmente o ambiente, nem prejudicar a circulação com móveis entulhados.

Aconchego

Ambientes integrados aproximam as pessoas que estão desenvolvendo atividades diferentes na edificação. A ventilação e a iluminação natural dos ambientes também melhora quando as paredes saem de cena. O que impacta diretamente no conforto de quem ocupa o espaço.

A integração pode acontecer de acordo com a necessidade e disposição dos ocupantes em integrar. Pode-se ter um espaço totalmente integrado, sem parede alguma, inclusive nos banheiros, ou pode-se optar por uma integração mínima criando um acesso visual entre dois ambientes, mesmo que por uma meia-parede ou janela. Pode-se ainda optar por divisórias móveis como biombos, cortinas e outros elementos. E a divisão pode ser simbólica, sinalizada por uma textura, cor, ou material diferente.

O importante é lembrar que a integração não acontece apenas com a supressão das paredes. Deve-se possibilitar também a integração visual dos ambientes. Um exemplo de integração visual é utilizar o mesmo tipo de piso nos ambientes integrados para reforçar a ideia de integração. Outra dica é utilizar uma base neutra no piso e nas paredes, para que se posso ficar mais a vontade na hora de escolher os móveis e objetos de decoração.

Quais cuidados devo ter ao integrar os ambientes?

Em caso de reformas, lembre-se que os elementos estruturais como vigas e pilares não podem ser retirados. Se for necessário substituir um elemento estrutural só o faça com a anuência dos profissionais responsáveis pela obra. Outro cuidado que se deve ter é que o barulho e o odor vão se propagar com mais facilidade, já que as barreiras foram suprimidas. Em cozinhas integradas deve-se pensar na instalação de uma coifa capaz de renovar o ar de forma eficiente, impedindo que o odor se espalhe. Deve-se pensar também em como resolver casos em que a integração pode resultar em perda de privacidade. Em algumas situações a integração deve ocorrer de forma flexível. Isso pode ser implementado com o uso de portas e painéis de correr ou que se recolhem totalmente para um canto do ambiente. Assim os moradores podem escolher quando integrar e quando isolar o ambiente.

Como a PLANEJ pode me ajudar?

Deseja construir ou reformar uma casa afim de ter ambientes integrados? Entre em contato conosco para conhecer um pouco mais sobre os nossos serviços e para solicitar um orçamento gratuitamente!

Imagens: Gazeta do Povo | Revista Habitare | Alto Astral

#arquitetura #espaçopequeno #integraçãodeambientes

15 visualizações
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco